Roseta

A leitura dos assentos paroquiais e até de alguns documentos mais recentes é um dos desafios enfrentados pelos genealogistas amadores e profissionais. Além dos estilos de grafia adotados em determinados momentos da história, há que se lidar com as idiossincrasias de párocos com pouca instrução formal que por vezes escreviam as palavras tal como lhe soavam.

Uma grande evolução para o trabalho genealógico – e até histórico de modo geral – ocorrerá quando as tecnologias computacionais puderem decifrar a escrita manual. Uso o verbo no futuro porque, de facto, ainda não temos tecnologias capazes de realizar essa façanha, embora tenhamos algo promissor: o Google Lens, um aplicativo que permite extrair algumas informações de imagens de textos manuscritos capturadas com a câmara do celular.

Google Lens

O Lens já permitia a tradução de textos, mas recentemente o Google liberou também a função de transcrição ou leitura vocalizada de documentos manuscritos e anotações feitas a mão. Por meio da transcrição, é possível converter a imagem do texto manuscrito para texto digital que possa ser manipulado em um editor de texto simples. Até o momento da publicação deste texto, o recurso estava disponível apenas para o sistema Android.

Para usar o recurso, recomendo que antes se trate a imagem do documento de forma a aumentar o contraste entre a mancha de texto manuscrito e o papel original, que pode ter ficado escurecido com o tempo. Em seguida, basta seguir as etapas abaixo:

  1. Instale o Google Lens pelo Google Play se necessário. No primeiro uso, será necessário conceder permissão de acesso à câmera do celular;
  2. Abra o aplicativo e selecione a opção “Texto”;
  3. Aponte a câmera do celular para o texto manuscrito e, quando ele estiver selecionado, toque no botão que mostra uma página de texto estilizada para fazer uma foto;
  4. Na janela que será exibida abaixo da tela, clique em “Selecionar tudo” e depois em “Copiar texto” para editar o texto digitalizado em outro aplicativo.

Esclareço desde já que o Google Lens não é nenhuma Pedra de Roseta para a genealogia, mas ele poderá ajudar em alguns casos muito simples que possam parecer indecifráveis. Para uma leitura mais eficiente de assentos paroquiais, só mesmo contando com a ajuda de um especialista, pedindo ajuda em algum dos grupos do Facebook ou treinando o olhar em cursos como o de Leitura de Assentos Paroquiais.


José Araújo é linguista e genealogista

Anúncios