Pixeladas

Álbuns fotográficos e mesmo fotografias avulsas são tesouros para o genealogista, mas nem sempre se tem a sorte de encontrá-los. Quando temos essa sorte, acabamos descobrindo que nossos antepassados não estavam preparados para deixar um registro documental que pudesse ser útil para as gerações futuras. É por isso que encontramos fotografias sem datas e sem identificação dos fotografados ou do local do registro. E há ainda limitações da tecnologia da época, que nos legou fotografias pouco nítidas ou que desbotaram com o tempo.

Quando lidamos com a falta parcial de informações, é possível tentar recuperá-las por meio de inferências e de tecnologias de inteligência artificial como esta, da Microsoft – saiba mais sobre o assunto nesta obra. Quando o problema é a falta de qualidade dos registros do passado, existem sinais de progresso para o futuro próximo, graças a uma pesquisa da Duke University.

Os pesquisadores dessa instituição desenvolveram um sistema chamado Pulse que pode transformar imagens de rostos borrados (pixelados) em imagens de alta definição. Como se trata de uma tecnologia ainda em desenvolvimento, os resultados ainda não são perfeitos. Você poderá verificar como a ferramenta funciona neste link: abrir o Pulse.

Siga o passo a passo, preferencialmente com o navegador Chrome:

  • escolha a imagem que deseja melhorar e gere um arquivo de trabalho com a opção ‘Salvar como’ do programa de edição de imagens de sua preferência;
  • na página da Pulse, escolha as configurações ‘number_of_images: 1’, ‘show_intermediate_images: desmarcar’, e ‘downsampling_factor: 64’;
  • em seguida, clique no botão vermelho que exibe um triângulo branco no meio para começar a executar o código;
  • clique, enfim, no botão ‘Escolher arquivos’, que é exibido mais abaixo na página logo após o início da execução do código;
  • procure o arquivo de trabalho da imagem que deseja melhorar e o selecione para enviar ao servidor;
  • aguarde o resultado do processamento.

Os pesquisadores alertam que é muito comum que o código não seja executado até o fim e seja exibida a mensagem ‘Google Drive quota exceeded‘, mas alertam para que se tente novamente em diferentes dias e horários.

A ferramenta ainda não é uma solução definitiva para o problema das fotos borradas, mas talvez represente uma ajuda para aqueles casos em que a pesquisa parece parada pela incapacidade de identificação de um antepassado.


José Araújo é linguista e genealogista.