Comuns

Em texto anterior, tratei do Family Finder, ferramenta oferecida pela empresa FamilyTreeDNA para revelação da ancestralidade a partir do teste de DNA autossômico. Dentre as ferramentas inclusas no FamilyFinder existe uma que pode auxiliar na descoberta de ramos familiares que possam não ter sido evidenciados pela genealogia documental – o In Common With, que está disponível dentro do recurso Matches. Ela se revela especialmente relevante quando temos outros parentes testados pela FamilyTreeDNA, pois, nesses casos, ela informa quais de nossos matches também são matches desses parentes no mesmo ramo familiar.

Leia mais

Antepassado

Um dos produtos mais conhecidos da empresa FamilyTreeDNA é o teste de ancestralidade genética Family Finder, pelo qual é possível tanto descobrir a mescla etnogeográfica que foi herdada pelo sujeito testado como também encontrar antepassados em comum com outros testados de até cinco gerações para trás, o que em outros termos equivale à descoberta de parentes mais ou menos próximos.

Leia mais

Prole

Quem se dá o trabalho de construir uma árvore genealógica logo chega à conclusão que seus antepassados foram extremamente férteis. É comum encontrar um bisavô ou trisavô que teve oito ou mais filhos – os tios-bisavós, tios-trisavós e assim por diante. O pesquisador afoito – aquele que deseja subir rapidamente nos ramos ascendentes – talvez não queira ter o trabalho exaustivo de buscar documentos, especialmente de batismo, relativos aos tais tios-bisavós e similares por não serem seus ascendentes diretos.

Leia mais

Afrodescendente

O envio de escravos africanos para a América foi, sem dúvida, um dos maiores movimentos populacionais da história e a maior emigração por mar antes da grande emigração europeia, também para as Américas, que se desenvolveu justamente na medida em que o tráfico de escravos no Atlântico conheceu seu fim. _ História da África e dos africanos – Analúcia Danilevicz Pereira, Luiz Dario Teixeira Ribeiro, Analúcia D. Pereira, Paulo F. Visentini, Luiz D. Ribeiro

Leia mais

Associações

A pesquisa genealógica deve começar dentro de casa, na busca de certidões, fotografias e na escuta das histórias passadas de geração a geração e que, embora possam conter algumas imprecisões, são valiosas pelas pistas que costumam oferecer. Em alguns momentos, a busca dentro de casa e nas casas dos parentes parece estagnar. É nesse momento que se deve começar a procurar pistas em cartórios e conservatórias e também nas bases de dados disponíveis na internet.

Leia mais