Melanização

Minha árvore materna contém ainda alguns ramos por esclarecer e um ramo já meio esclarecido que ainda apresenta um enigma: por que meu bisavô João (ca. 1848-1921) recebeu o sobrenome composto Pereira Belém se seu pai Pedro (ca. 1828 – ca. 1890) era um Gomes de Moraes? A suposição é que minha trisavó Joaquina da Leia mais… »

Pista

Nem sempre os resultados dos testes de genealogia genética se revelam úteis de imediato para a resolução de problemas existentes nas árvores genealógicos dos testados. E certamente a realização de um teste apenas pode não trazer nenhuma luz mesmo no longo prazo. O segredo é testar o máximo possível de parentes de diferentes graus (irmãos, Leia mais… »

Combinação

Com a popularização dos testes de genealogia genética, muitas pessoas têm recorrido a essa ferramenta para tentar entender suas origens familiares ou até descobrir essas origens, como no caso de pessoas que foram adotadas e podem não ter a menor pista a respeito de suas famílias biológicas. Enquanto estas muitas vezes sofrem por nem poder Leia mais… »

Thais

Sou entusiasta dos testes genéticos, pois eles já me ajudaram a confirmar uma análise documental que poderia conter alguma falha de interpretação e a descobrir primos distantes com quem agora mantenho contato quase cotidiano. Esse entusiasmo se manifesta em minha disposição de testar não apenas meu DNA, mas também os de meus primos, especialmente do Leia mais… »

Nely

Algumas árvores de família são como pinheiros, que crescem para cima de forma bastante pronunciada, principalmente porque quem as cultiva se preocupa apenas em documentar sua ascendência direta, deixando de lado os tios e primos que possa ter e mesmo conhecer. Outras árvores são como arbustos, que se espalham sem muita esperança de crescimento vertical Leia mais… »