Lacunas

A filiação de meu bisavô Arthur Rabello Guimarães (1868-1917) é um dos mistérios mais duradouros de meu ramo materno. Ele foi registrado como filho natural apenas de Julinda Dias Seabra e Silva (1843-1884), ela mesma filha natural de Eleutéria Rosa da Conceição. As identidades dos pais de Arthur e Julinda segue desconhecida, mas a busca Leia mais… »

Melanização

Minha árvore materna contém ainda alguns ramos por esclarecer e um ramo já meio esclarecido que ainda apresenta um enigma: por que meu bisavô João (ca. 1848-1921) recebeu o sobrenome composto Pereira Belém se seu pai Pedro (ca. 1828 – ca. 1890) era um Gomes de Moraes? A suposição é que minha trisavó Joaquina da Leia mais… »

Theodora

Minha bisavó Theodora Maria da Conceição foi uma mulher afrodescendente, filha de Felipe Rangel e Maria Laurinda da Misericórdia – ou Maria Gaspar – e natural de Bananal de Itaguaí, hoje Seropédica, Rio de Janeiro. Como tudo mais nesse ramo de minha árvore materna, as informações têm sido encontradas com base em muita pesquisa documental, Leia mais… »

Ausente

Embora sejam fontes preciosas de informação, os inventários nem sempre estão acessíveis para o genealogista. Poucos sobreviveram aos maus cuidados e, dentre os que sobreviveram, apenas a menor parte foi digitalizada e pode ser solicitada aos órgãos que os guardam. Em dois textos anteriores, explorei a riqueza de informações – evidências de casamentos mistos e Leia mais… »

Lançamento

Promoção de Lançamento na Semana da Consciência Negra Neste décimo volume da coleção Genealogia Prática, apresento e discuto questões relacionadas à pesquisa genealógica para famílias brasileiras afrodescendentes. Essas questões não costumam ser abordadas fora do ambiente acadêmico, portanto trago aqui ao conhecimento geral aspectos históricos, sociológicos e até biológicos que servirão de subsídio para o Leia mais… »