Apresentação

Apresentação

Este blog se destina à discussão de temas e estratégias úteis para o genealogista amador, aquela pessoa que pode querer reconstruir a história de sua família pela pesquisa de seus antepassados ou apenas encontrar uma certidão de um antepassado para iniciar um processo de obtenção de cidadania. O foco de minha pesquisa é o eixo Brasil-Portugal, mas algumas dicas poderão ser úteis para outras regiões.

Desconstrução

Meus avós paternos emigraram de Portugal para o Brasil no início do século XX, tal como fizeram muitas outras famílias portuguesas antes e como fariam ainda outras até depois da metade daquele século. A narrativa que se costuma ouvir é de que Portugal era um país agrário e muito pobre, portanto seus cidadãos, por vezes trazendo toda a família, vinham para o Brasil à busca de condições de vida melhores. A suposição dessa narrativa é de que todos os emigrados eram pobres ou mesmo miseráveis, mas existem pistas que nos permitem desconstruir tal narrativa para nos aproximarmos dos factos.

Leia mais

Pandemia

A gripe espanhola não começou na Espanha, mas sim em uma base militar americana em março de 1918. Em duas semanas, 1000 militares foram contaminados. Em pouco tempo, o vírus influenza H1N1, responsável pela epidemia, se espalhou pelos Estados Unidos e, com os soldados americanos que viajavam para a guerra na Europa, chegou ao velho mundo, de onde se disseminou e se tornou a mais recente pandemia de que tínhamos notícia antes da atual, causada pelo coronavírus.

Leia mais

Futebol

Por meio da pesquisa que venho realizando há anos, descobri que meus avós paternos emigraram de Portugal na primeira década do século XX. Nessa pesquisa descobri também que outros ramos de minha árvore paterna chegaram ao Brasil em ondas migratórias anteriores e posteriores. Diante da realidade de ramos familiares ainda desconhecidos, estabeleci o desafio de encontrar possíveis primos e primas de ramos distantes de minha árvore paterna.

Leia mais

Prima

Aos vinte e nove de junho de mil novecentos e vinte, na matriz de Santo Antônio de Jacutinga, batizei solenemente Nadyr, nascida a vinte e dois de setembro de mil novecentos e dezenove, filha [rasurado: legítima] de Alfredo José dos Santos e Maria Pereira Belém, casados só civilmente. Padrinhos: Manoel Pereira Belém e Balbina Maria de Souza. Para constar, fiz este assento, em que me assino. O Vigário, Pe. Manoel da Silva Porto

Leia mais